Nosso Canil Vendas Últimas Premiações Resultado Exposições Canis Exterior Artigos Fale Conosco
 


 
A GENÉTICA DOS SEXOS
A Importância Relativa de Pai e Mãe
José Walter Santos Ferro
Criador e Juiz de Criação e Seleção da SBCPA


Criador, segundo definição da SBCPA, a entidade mater pastoreira, é todo aquele que cria cães com pedigree, tendo pelo menos uma matriz ou reprodutora. Para muitos “criadores” pedigree é apenas o documento que identifica o animal. Ou seja, apenas uma carteira de identidade. Conheço alguns criadores “veteranos” que atribuem pouca ou quase nenhuma importância aos trinta nomes que figuram nas quatro gerações dos pedigrees dos seus animais. Outros atribuem muita importância ao pai do seu animal e pouca à mãe, como se cada um não fosse responsável por 50% da herança genética. Sabemos que alguns animais são mais raçadores do que outros, ou seja, são mais marcantes na transmissão das suas características. E esta prepotência genética tanto pode ocorrer em animais do sexo masculino quanto feminino.


E para podermos entender a importância relativa do pai e da mãe no processo reprodutivo é necessário que façamos uma breve incursão pelos meandros da genética dos sexos. A importância do sexo é que êle é um mecanismo que provê a grande maioria das variabilidades genéticas, da qual depende o processo evolutivo da seleção natural. No cão, como nos demais mamíferos, a presença do cromossoma Y pode determinar a tendência à masculinidade. Os machos normais são cromossômicamente XY e as fêmeas XX. Os cromossomas sexuais X e Y são frequentemente de tamanhos e formas desiguais. No entanto, o fato de que formam pares durante a meiose é uma indicação de que contém alguns segmentos homólogos. Os genes contidos nestes segmentos são parcialmente ligados ao sexo e podem combinar-se por permuta (crossing-over). Já os genes não-homólogos do cromossoma X são totalmente ligados ao sexo e exibem um modo peculiar de herança. Nos cães, alguns genes são conhecidos como localizados na parte não homóloga do cromossoma Y. Nestes casos, a característica seria expressa somente nos machos e seria sempre transmitida de pai para filho. Os genes governando características passíveis de serem influenciadas pelo sexo podem estar localizados em qualquer dos autossomos ou nas porções homólogas do cromossoma sexual. A expressão de dominância ou recessividade (dos “loci” limitados ao sexo) é reversa nos machos e nas fêmeas devido, principalmente, à diferença existente no meio interno e causada pelos hormônios sexuais. Assim, por exemplo, o gene transmissor da calvície é dominante nos homens, porem age recessivamente nas mulheres. Alguns genes, no entanto, conseguem expressar-se somente em um dos sexos, seja devido às diferenças causadas pelos hormonios sexuais no meio interno ou devido às diferenças anatômicas. Como exemplo, alguns touros têm muitos genes destinados à produção de leite que eles conseguem transmitir às suas filhas, mas eles e todos os seus descendentes machos são incapazes de expressar essas características.


Vimos , pois, dois exemplos que denotam a importância relativa do pai e da mãe. No primeiro, com efeito parcialmente ligado ao sexo, dominante nos machos e recessivo nas fêmeas; no segundo, com efeito limitado ao sexo, manifestando-se exclusivamente nos descendentes do sexo feminino.


Teresópolis, 04/01/2000
Walter Ferro

 


Canil Hirten der Nacht
Teresópolis - RJ - Brasil
0xx21 2642-4625 / 98896-0076